terça-feira, 12 de setembro de 2017

AULQUIMIA ESPIRITUAL





Na vida, temos o tempo de plantar e o tempo de colher. As situações que vão surgindo a nossa frente, nos ensinam que devemos aprender a conviver com a alteridade, sem exigirmos que o outro pense e seja da mesma maneira como desejaríamos. No nosso processo evolutivo, precisamos fazer uma verdadeira alquimia espiritual, indo das cinzas da intolerância ao nascimento da fênix da compaixão, trazendo em suas asas a compreensão e a esperança. Assim, quando aprendermos a amar, conseguiremos vencer a luta que travamos conosco mesmo. Não é fácil, mas na caminhada somos eternos aprendizes.

Neneca Barbosa
11/09/2017

sábado, 19 de agosto de 2017

O ENCANTO DA BORBOLETA





Postando a imagem de uma borboleta, com uma mensagem verdadeira, resolvi escrever um pouco sobre esse ser alado, que me encanta. Quando criança saia a correr pelo pátio da casa, lá no sítio Jenipapeiro, na esperança de pegar somente uma! Geralmente no inverno, por mudar a vegetação que ficava tudo verdinho, com suas flores do campo.  Não tinha a intenção de machucá-la, mas pelo prazer de segurá-la, em minhas mãos, por alguns instantes, mas confesso que não conseguia, pois ela era muito vivaz. Sentia-me tão feliz em vê-las voando livres, soltas... Com elas ia um pouco de mim, do meu anseio de liberdade.

Sendo a crisálida o ovo que contém a potencialidade do ser e a borboleta que sai dele é um símbolo de renascimento, imprimindo, dessa forma, um dualismo entre morte e vida. Ela simboliza também a beleza e a liberdade. A metamorfose da borboleta inscreve-se na busca do diferente, do novo, da comunicação, da liberdade de expressão. É o momento em que o eu lírico, empregada na linguagem poética, abre a janela da alma para uma nova visão de mundo.

São reflexos que se instauram em nosso existir, no cotidiano e na relação com o transcendente. É viver em harmonia consigo mesmo, com o outro e com o cosmos. Diz Rubem Alves: “Quem sabe que o tempo está fugindo descobre, subitamente, a beleza única do momento que nunca mais será […]”. Sabermos da nossa finitude e termos consciência desses momentos nos possibilita fluir, para transpor os obstáculos dos nossos próprios caminhos.

Neneca Barbosa, 22/05/2017


domingo, 18 de dezembro de 2016

MENSAGEM DE ESPERANÇA


A humanidade ainda carrega consigo o egoísmo e esquece que faz parte da Natureza, dádiva do Criador do Universo.

A Terra Mãe nos ensina todos os dias, o amor, a brandura, a doação, a tolerância, o voar e cantar acima de todas as coisas pequenas. Mas, o ser humano, em sua pequenez espiritual, despreza, maltrata e destrói o seu próprio habitat
.
Um novo ano vai se iniciar, mas ele só se tornará novo, se cada um tomar consciência, que são preciso mudanças urgentes, tornando-nos pessoas melhores e mais humanas.

Vamos sair do primitivismo e pensar mais nos valores do Ser, do que nos valores do Ter. Estes últimos são efêmeros! Reflitamos para que possamos acreditar que vale a pena tentar. Que façamos um Natal diferente.

Muita paz, justiça, esperança, solidariedade e amor em nossos corações!

Neneca Barbosa
João Pessoa, 18/12/2016

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

TUDO SE REFAZ





 

Ora, acredito que tudo na vida se refaz! 
Quando momentos de tristeza batem à nossa porta e as lágrimas rolam em nossos rostos, lembremo-nos que hoje o sol brilhou, os pássaros cantaram e voaram livres. Os risos não emudeceram e as borboletas bailaram, por sobre as flores.
Procuremos deixar a alegria invadir os nossos corações e a vida voltar a florescer, porque o amor se faz presente.

Neneca Barbosa
30 / 10 / 2016




sábado, 1 de outubro de 2016

SONHOS, O BRILHO DA VIDA


O tempo voa, levando com ele nossas ilusões e alguns sonhos que não foram possíveis realizar. Mas, que seria da vida sem eles? Ah, a vida não teria brilho e a chama que existe dentro de nós se apagaria, deixando um frio dolorido tomar conta da nossa alma. 

Sonhar é voar como um pássaro. Se não arriscarmos nossas asas atrofiam e jamais conseguiremos chegar aos píncaros da montanha.


Não sejamos casulos que se fecham, mas tenhamos a coragem da lagarta que se transformou numa bela borboleta.


Os sonhos são sementes que plantamos no solo fértil dos nossos corações.
Aproveitemos, pois para sonhar não existe idade!


Neneca Barbosa
30/09/2016

sábado, 17 de setembro de 2016

UM VASO FURADO






Hoje acordei bem disposta, após uma ótima noite de repouso, da minha casquinha. Antes de sair da cama agradeci ao Pai pelo dom da Vida e pelo lindo dia ensolarado. Fiz minha toalete habitual e fui tomar minha refeição matinal. Fiquei sozinha em casa, quase o dia todo. Claro que fisicamente, pois tenho a convicção da companhia dos que estão desnudos do corpo físico.
Pensei que ia sentir um vazio, pois quem me conhece sabe que gosto muito de companhia. Como tinha dispensado a secretária, um dos anjos encarnados que me acompanham, resolvi fazer a limpeza da casa, apenas um faz de conta. Em seguida tomei um banho e fui para o local habitual da casa, que sempre fico. Deitei na rede e comecei a navegar na internet acompanhada pelas músicas de minha preferência, as instrumentais. A música e a poesia são alimentos para a minha alma!  
E a manhã foi passando tranquila, mas com meus pensamentos no ar. Foi então que peguei um livro e comecei a ler. Seu título: Medicina Vibracional – Uma Cosmovisão da Saúde, da autora paraibana Maria Emília Limeira Lopes. Um livro que traz uma visão sobre a terapêutica dentro da medicina vibracional, ou seja, a medicina da alma. O trabalho da autora envolve Saúde e Espiritualidade, no que se torna um grande desafio por envolver ciência e religião, quando há, através dos tempos, um relevante distanciamento.
 Li alguns capítulos e parei para refletir sobre minhas próprias mazelas. Compreendi que somente através do autoconhecimento é possível curá-las. As doenças da alma implicam na maneira negativa de como pensamos e sentimos, acarretando a desarmonia no nosso corpo somático.

Daí, comecei analisar um ponto pertinente em mim. Desejar receber sempre algo que me preencha, principalmente das pessoas que mais amo, seja cobrando atenção, mudanças de atitudes, quando na realidade, sou eu mesma que tenho de trabalhar para me preencher. Tenho que respeitar o modo de ser e o tempo de cada um, no seu aprendizado.  

Comecei a pensar e comparei-me a um jarro, em cuja sua extremidade inferior tem uma pequena rachadura, não sendo possível enchê-lo de água, pois, aos poucos, ela vai se esvaindo deixando-o vazio. Fiquei uma parte da manhã me perguntando: o que eu poderia fazer, para começar a cauterizar minhas mazelas?  Matutando, veio o estalo. Conserte o vaso e encha-o até a borda com a água da COMPREENSÃO.

Mudar é sempre um desafio, mas é uma meta que vou tentar enfrentar com coragem. Como a Natureza não dá salto em sua evolução, assim também somos nós.
Uma coisa de cada vez!


Neneca Barbosa, 17/09/2016